• Gilberto Cardoso

Energia pura




Quando falamos em espiritualidade raramente conseguimos tratar do assunto com imparcialidade religiosa ou padrão de crença. No caso do filme "Energia pura", o personagem central surpreende-nos pela maneira como se expressa, sempre tocando nossa alma com sensibilidade e zelo.


O filme retrata o momento da vida de um jovem albino criado pelos avós numa cidade do interior, totalmente isolado do mundo, tendo que partir para o contato com o exterior, após anos de vida em cativeiro sendo considerado uma anomalia. Autodidata e dotado de uma sabedoria peculiar, o personagem central se vê diante de um trágico dilema ao ter que encarar o mundo prático pela primeira vez.


Quatro outros personagens se envolvem neste contexto diretamente, uma assistente social, um delegado, um professor e uma aluna da escola para onde o levam, de forma a dar ao enredo um toque sutil sobre o relacionamento humano em suas variadas possibilidades.



Um encontro com a simplicidade


Há uma cena em particular que deve chamar a atenção de todo bom expectador, que é o diálogo entre o personagem central e a aluna da escola com quem ele se relaciona de forma mais tranquila, no momento em que conversam no banco de um parque numa festa comunitária.


Nesta cena, de maneira muito simples o rapaz fala sobre a experiência humana neste plano, dando-nos a ideia clara e objetiva sobre a razão de estarmos aqui e qual seria o nosso maior compromisso como irmãos enquanto raça e ainda nossa relação com o meio-ambiente em que vivemos. Com certeza "Energia pura" trata-se de um destes títulos imperdíveis, para quem deseja realmente refletir sobre a vida além de emocionar-se com um bom enredo. Não perca.


15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O Corpo.